Informe ATR - confira o preço atualizado da cana

AFCP NEWS

AFCP devolverá para fornecedores meio milhão de reais de taxa associativa

Quase meio milhão de reais descontados dos canavieiros pelas usinas em favor do órgão canavieiro começará a ser devolvido pela AFCP aos associados que moeram mais de 12 mil toneladas nesta última safra. A medida foi decidida pela atual diretoria da AFCP no final de 2019, a fim de estimular a associação dos grandes canavieiros à entidade de classe

Na próxima semana, a Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco (AFCP) começa a devolver para os seus sócios um recurso na ordem de R$ 424,8 mil, que foram repassados pelas usinas referente às taxas associativas e pelos serviços técnicos prestados pela entidade canavieiro durante a última safra. A ação integra a resolução da diretoria da AFCP, liderada por Alexandre Andrade Lima, que tomou a decisão histórica de diminuição da cobrança dessa taxa. Pela definição, deixou de ser cobrado o percentual de 1,3% sobre a quantidade acima de 12 mil toneladas de cana de açúcar. Todos agricultores associados nestas condições pagarão somente 0,5%, que é uma obrigação definida em lei.

A previsão inicial da entidade era promover uma economia anual para os fornecedores em torno de R$ 300 mil. O montante, no entanto, ficou bem maior. “R$ 424,898,50 mil já foram repassados pelas usinas para nós e começaremos a distribuir com os agricultores na próxima semana. Outros R$ 45.058,02, valor ainda pendente de pagamento por parte das usinas à AFCP referente às taxas associativas, serão repassados assim que algumas usinas acertarem as contas”, diz Andrade Lima. O dirigente crê que todo o recurso (ou parte) distribuído pela AFCP ao fornecedor, pode ser aplicado no incremento dos canaviais dos próprios associados.   

“Desde que assumimos o comando da entidade, ainda em 2007, um dos nossos objetivos era a diminuição da taxa associativa. À época, porém, a AFCP tinha grande passivo. Saneamos as contas e falta poucos dias para concretizarmos esta redução em favor da nossa classe”, frisa Lima.

O dirigente conta que os grandes fornecedores reclamavam do valor associativo e muitos justificavam o distanciamento da entidade. Agora a questão foi bem equalizada e a entidade espera que todos se associem.

Mais economia

Essa não foi a primeira vez que essa direção da AFCP consegue reduzir a tributação do setor. Ainda no governo Dilma, atuou forte, e, juntamente com outras entidades, conseguiu reduzir 1% dessa tributação, quando rebaixou de 2,8% para 1,8%, com o fim do artigo 36 da lei 4870/1965.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *